Sábado, 16 de Dezembro de 2017 |
Doenças da próstata

11:40 - 25/07/2017     9570 visualizações SAÚDE
Atualizado em: 25/07/2017
Imprimir
Dr. Miguel Rodrigues, urologista da Clínica Lusíadas Faro

A próstata é um órgão mais conhecido pelas suas doenças do que pela sua função. Localiza-se por baixo da bexiga e à frente do reto, sendo por isso palpável por toque rectal.

É atravessada no centro pela uretra, o que explica por que motivo os problemas da próstata podem afetar a forma como urinamos. A função da próstata é produzir um líquido que nutre e protege os espermatozoides. Entre as principais doenças da próstata estão o cancro, a hiperplasia benigna da próstata (HBP) e a prostatite.

 

Cancro da próstata

O cancro da próstata é mais comum a partir dos 50 anos, embora possa surgir mais cedo, sobretudo em doentes com história familiar da doença. O diagnóstico precoce desta doença é fundamental para se conseguir identificar quando apenas está localizada na próstata, situação com taxa de cura muito elevada, com técnicas cada vez menos invasivas e com menos sequelas. Nesta fase, o cancro da próstata não dá sintomas, e apenas é possível identificá-lo através de análises (PSA), ecografia transrectal e toque rectal, daí que seja fundamental a vigilância regular da próstata.

Dependendo do tipo e estadio, existem várias opções de tratamento: a cirurgia, que consiste na remoção cirúrgica de toda a próstata; a radioterapia externa, na qual o doente realiza várias sessões em que a próstata é irradiada e as células malignas destruídas; braquiterapia, ou seja, uma radioterapia "interna", em que são colocadas numa única sessão, várias "sementes" radioativas na próstata - este tratamento permite uma recuperação muito rápida (1 dia), com muito menos sequelas urinárias e sexuais; e hormonoterapia - através de um bloqueio na produção da testosterona é possível travar a evolução do cancro, uma vez que o cancro da próstata é dependente desta hormona. Alguns tipos de cancro da próstata permitem que apenas seja necessária a sua vigilância.

 

Hiperplasia Benigna da Próstata

Com o avançar da idade, a região da próstata que envolve a uretra sofre um crescimento benigno. Quando este crescimento bloqueia a passagem da urina na uretra, o doente começa a ter sintomas que interferem com a sua qualidade de vida, nomeadamente jato urinário mais fraco, micção prolongada e/ou atraso no início da micção, incontinência urinária, retenção urinária (incapacidade de urinar), aumento da frequência urinária diurna e noturna, vontade de urinar súbita e difícil de controlar e adiar, peso ou dor abaixo do umbigo, gotejo terminal após urinar e sangue na urina.

O tratamento para a HBP começa com medicação que ajuda a diminuir a compressão sobre a uretra. Quando estes tratamentos deixam de ser eficazes, é necessária a cirurgia de desobstrução da próstata. Atualmente esta cirurgia é menos invasiva (endoscópica), com recuperação rápida (1-3 dias) e não causa disfunção eréctil (impotência).

Existe algum preconceito dos doentes em relação à cirurgia, por receio da disfunção eréctil, mas depois de a realizarem referem não apenas uma melhoria do bem-estar urinário, mas também sexual.

 

Prostatite

A prostatite é uma inflamação na próstata, geralmente causada por bactérias. Pode ser aguda (súbita e de curta duração) ou crónica e caracteriza-se por ardor com a micção, aumento da frequência urinária, febre, dor associada à ejaculação, desconforto perineal ou jato urinário mais fraco.

O seu tratamento, por vezes difícil, consiste na utilização de anti-inflamatórios, antibióticos e tratamento da HBP.

Nas situações crónicas, os tratamentos são muitas vezes prolongados e com baixa eficácia.

 

Previna-se: vigie a sua próstata!

 

Por: LPM

 
Newsletter
Preencha o campo para subscrever a newsletter
notícias mais lidas


 
 
CATEGORIAS
A VOZ DO ALGARVE
APOIO AO CLIENTE
Visite-nos