Segunda, 25 de Junho de 2018 |
Autarca aponta gás como causa provável de explosão em Castro Marim

14:49 - 08/03/2018     176 visualizações CASTRO MARIM
Imprimir
A explosão que hoje destruiu uma casa no concelho de Castro Marim, no distrito de Faro, causando a morte a uma pessoa e ferimentos noutra, terá sido provocada por uma botija de gás, segundo o presidente da Câmara.

O incidente deu-se às 06:56 e “destruiu por completo” a habitação de um casal de idosos, matando um homem e deixando uma mulher com ferimentos, disse à agência Lusa o presidente da Câmara de Castro Marim, Francisco Amaral, reconhecendo que ficou “impressionado” com a destruição provocada no imóvel, situado em Portela Alta de Baixo, freguesia de Odeleite.

“Destruiu por completo uma habitação de um casal de idosos”, afirmou o autarca, acrescentando: “Nunca pensei que a explosão de uma bilha destruísse por completo uma casa inteira”.

Francisco Amaral disse que a explosão foi “violenta” e “lançou destroços a mais de 100 metros” da habitação. A seguir deflagrou também um incêndio, mas o fogo foi logo apagado pelos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António, corporação que tem a missão de prestar socorro também no município vizinho de Castro Marim, sem bombeiros próprios.

“Quando cheguei de manhã fiquei impressionado com a dimensão da explosão, que teve alguma violência, ainda foi seguida de um incêndio numa das salas, mas resolveu-se rápido, porque os bombeiros de Vila Real de Santo António também chegaram rápido”, contou o presidente da Câmara.

Quanto à ferida, Francisco Amaral, que é médico de profissão e faz um dia de voluntariado no hospital de Faro à quinta-feira, disse não ter informação suficiente disponível, porque a idosa ainda não tinha dado entrada na unidade referência do Algarve.

“Disseram-me que os ferimentos seriam ligeiros, mas só agora está a chegar a Faro e poderei saber mais”, disse o autarca, perto das 12:00.

Inicialmente, a ferida foi qualificada pelos serviços de emergência como grave e transportada para o Serviço de Urgência Básica de Vila Real de Santo António, que depois reencaminha os doentes mais urgentes para o hospital de Faro, a principal unidade de saúde da região e sede do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA).

A Portela Alta de Baixo e a Portela Alta de Cima são duas localidades vizinhas da serra algarvia, a cerca de 15 quilómetros de Castro Marim, onde a população é maioritariamente idosa.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro, a vítima mortal tinha 78 anos e a mulher tem 73.

 

Por: Lusa

 
Newsletter
Preencha o campo para subscrever a newsletter
notícias mais lidas


 
 
CATEGORIAS
A VOZ DO ALGARVE
APOIO AO CLIENTE
Visite-nos