Quarta, 26 de Setembro de 2018 |
Mulheres são mais afetadas pelos joanetes

12:28 - 09/03/2018     144 visualizações OPINIÃO
Imprimir
Dr. Francisco Oliveira Freitas, Podologista

Atualmente andamos tão ocupados e preocupados com as tarefas quotidianas que nos esquecemos de que por vezes cometemos pequenos erros, quer de postura, quer de calçado. No que diz respeito a este último, o que acontece é que as escolhas não são as melhores, o que origina graves problemas nos pés.

Segundo um estudo recente efetuado pela Harvard Medical School, no qual estiveram envolvidas quase 3.000 mulheres e homens com mais de 56 anos, concluiu-se que as mulheres são mais propensas a ter joanetes à medida que envelhecem, e quanto mais dolorosos forem, menor será a sua qualidade de vida.

O joanete desenvolve-se quando o primeiro osso do metatarso do pé se desvia para fora, e os dedos grandes dos pés para dentro (em direção aos restantes dedos dos pés), fazendo com que a haja uma subluxação da articulação. Isto deve-se ao facto da maioria dos sapatos não estarem preparados para acomodar o pé e, desta forma, pressionam a articulação desalinhada.

Os principais sintomas do joanete são os sinais inflamatórios, a dor, o rubor e a vermelhidão sobre o dedo, podendo surgir uma ferida. A dificuldade em comprar sapatos vai aumentando consoante o problema, visto que não existe nenhum tipo de calçado que esconda o “joanete”, ou que não cause desconforto ao longo do dia.

Este flagelo pode ser evitado e minimizado, mediante o trabalho de uma equipa multidisciplinar (que se complementa com os vários setores da área da saúde), se utilizar sapatos de salto alto ocasionalmente, visto ser esta uma das formas de prevenção dos joanetes. Se as suas funções profissionais requererem uso de sapatos de salto alto, poderá optar por utilizar calçado confortável durante a viagem de casa para o trabalho e do trabalho para casa, usando o salto alto apenas no horário de trabalho. No caso de ter alguma dúvida, deverá consultar um Podologista, para que este possa efetuar o diagnóstico e indicar o tratamento mais adequado. 

 
Newsletter
Preencha o campo para subscrever a newsletter
notícias mais lidas


 
 
CATEGORIAS
A VOZ DO ALGARVE
APOIO AO CLIENTE
Visite-nos