Segunda, 19 de Novembro de 2018 |
Casas demoram menos a ser arrendadas, mesmo com valores 20% mais caros

09:25 - 11/07/2018     49 visualizações ECONOMIA
Imprimir
Lisboa e Porto já seguem lado a lado na maratona das rendas. No primeiro trimestre deste ano os preços subiram 20% nas duas cidades, bem acima da média nacional situada nos 13%.

As rendas estão mais caras, mas o tempo que os senhorios esperam para ter um novo inquilino é cada vez menor: há casas a demorar menos de 48 horas a encontrar morador.

Em 2013 um proprietário do Porto esperava em média cinco meses até conseguir encontrar um inquilino e em Lisboa ou Sintra eram necessários três meses, segundo dados da Confidencial Imobiliário (Ci), citados pelo Diário de Notícias. Tudo mudou. Agora há muitas casas a nem sequer serem colocadas nas plataformas de arrendamento, ou até mesmo a demorarem menos de dois dias a encontrar novo inquilino.

Antes, Porto e Lisboa seguiam afastadas, mas o cenário alterou-se. O mercado imobiliário nortenho registou o aumento mais elevado dos últimos sete anos (20%), alcançando o ritmo de subidas da capital. O cenário é o mesmo nas duas cidades: há muita procura para pouca oferta. E a verdade é que o "desespero" para encontrar casa tem impulsionado a subida de preços. Faltam imóveis, mas não faltam inquilinos. Há pessoas a ficar com casas sem sequer visitá-los ou até mesmo a oferecer seis ou 12 meses de renda adiantada.

Carlos Martins, um proprietário, contou ao DN que há cinco anos precisou de cinco meses e várias visitas para arrendar uma casa e que agora, numa casa que ainda está em obras, já foi contactado por inúmeros interessados que querem ficar com ela. Nos preços verifica-se o mesmo. Há três anos, o proprietário pediu 350 euros mensais por um imóvel, mas agora vai pedir 550 euros por mês.

 

Por: Idealista

 
Newsletter
Preencha o campo para subscrever a newsletter
notícias mais lidas


 
 
CATEGORIAS
A VOZ DO ALGARVE
APOIO AO CLIENTE
Visite-nos