Sábado, 19 de Outubro de 2019 |
A ÉPOCA DA AFIRMAÇÃO DE EMANUEL PAIXÃO?

11:00 - 05/10/2019     177 visualizações OPINIÃO
Atualizado em: 05/10/2019
Imprimir
Por Luís José Pinguinha | Vice-presidente do Louletano | FUTEBOL | Acompanhando as jovens promessas do Louletano | pinguinhaluisjose@gmail.com

Nome: Emanuel Bento Paixão «Ema»

Ano nascimento: 2001 (1 maio)

 

 

Tem início este fim-de-semana (5 e 6 outubro) o Campeonato do Algarve de Juniores de Futebol, temporada 2019/2020. Com 19 equipas participantes, a competição disputar-se-á em duas fases: a primeira em duas zonas (Barlavento com nove equipas e Sotavento com dez), em que as equipas em cada zona jogarão todas contra todas, mas a uma só volta; a segunda composta pela série de apuramento de campeão do Algarve, na qual participarão as cinco primeiras classificados de cada zona que, aí, jogarão todas contra todas, a duas voltas e por uma série composta pelas restantes equipas, ou seja, as não apuradas. O primeiro classificado da série de apuramento do Campeão, para além do título, terá, ainda, o direito a, na próxima temporada, participar no Campeonato Nacional da II Divisão de Juniores, prova que o Portimonense e o Farense disputam esta época.

Por caprichos do sorteio, jogar-se-á, na 1ª jornada da 1ª Fase, um interessante Olhanense / Louletano (Sábado, 5 outubro, às 19h 15m, no Municipal de Olhão), já que, e com a permissão do Esp. Lagos, do Ferreiras, do Imortal, do Lusitano VR, principalmente destes e, igualmente do Guia (a equipa revelação da prova?), estarão frente a frente os grandes favoritos para a conquista do título. Aliás, seria preciso um terramoto, e mesmo assim teria de atingir uma magnitude significativa na escala de Richter, para que Louletano e Olhanense não se apurassem para a fase de apuramento de campeão. E como, por razões lógicas e evidentes, os pontos desta 1ª fase bem como os resultados nela alcançados (para efeitos de eventual desempate), não transitam para a Fase de Campeão, Louletano e Olhanense poderão, libertos da pressão do resultado, proporcionar neste jogo um grande espetáculo de futebol.

Esta nossa convicção justifica-se pelos enormes talentos que cada uma das equipas tem nas suas fileiras. Neste espaço, e aproveitando para referir que o Louletano tem dois grandes trunfos que podem, em caso de necessidade, ser utilizados, como são o desconcertante extremo Afonso Calvinho e o recém incorporado Sander Lemes, brasileiro, médio ofensivo, proveniente do Osasco FC, de São Paulo, ambos integrados na equipa principal do Clube, mas ainda com idade de juniores, reportamo-nos a um desses grandes talentos da equipa: Emanuel Paixão, Ema para os amigos.

Imponente fisicamente, protegendo a bola como poucos, possuidor de elevadíssima inteligência futebolística que lhe permite definir com eficaz critério quando deve jogar no espaço ou no pé ou quando deve segurar a bola, com boa mobilidade e tecnicamente irrepreensível (o pé esquerdo, então, é excelente), dotado de fortíssimo e certeiro remate, Ema possui um potencial gigantesco. Por ter uma personalidade bastante vincada e irreverente, acoplou-se ao Ema uma imagem negativa, geralmente com o argumento de falta de empenho. Eu, que o conheço desde a época de 2012/2013 (Infantil B no Almancilense), que acompanhei o seu percurso no futebol (2013/2014 no Louletano tendo, depois, alegadamente por razões financeiras e/ou amorosas, saltitado entre o Inter Almancil e o Quarteirense), tinha, e tenho, uma opinião distinta. Sabe-se que os seres humanos crescem de forma e em timings distintos. Quem não entende isso, não entende o Ema nem outros Emas. Daí que, a tomada de consciência, a aceitação e a gestão com base no princípio de que num grupo os membros têm que ser todos iguais, no que aos direitos e deveres diz respeito, mas que todos são diferentes entre si nas suas circunstâncias, pode ser de difícil aplicação prática, mas é o que define e caracteriza os verdadeiros líderes: zelar pelo todo sem prejudicar as partes e zelar pelas partes sem prejudicar o todo.

Por isso, regozijei-me quando, na temporada passada, Ema se comprometeu com o Louletano. Sendo de 1º ano, alinhou então na equipa B de Juniores, apesar de, pessoalmente, ser de opinião que ele poderia ter ajudado bastante a equipa principal. Mas, como é óbvio, não temos todos a mesma opinião.

Esta época, sendo a sua última de júnior, por tudo o que escrevi atrás e sabendo da intensidade que coloca nos treinos e jogos, estou convicto que o Senhor Emanuel Bento Paixão confirmará a minha avaliação, não me deixará ficar mal (e, sobretudo, a ele) e confirmará todo o enorme potencial que possui.

A acompanhar com enorme atenção.

 

 
Newsletter
Preencha o campo para subscrever a newsletter
notícias mais lidas


 
 
CATEGORIAS
A VOZ DO ALGARVE
APOIO AO CLIENTE
Visite-nos