Os factos foram praticados na Área Metropolitana de Lisboa e no Algarve

A Polícia Judiciária, através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, procedeu à identificação, localização e detenção de cinco homens, portugueses, com idades compreendidas entre os 48 e os 65 anos, com elevado grau de perigosidade, por existirem fortes indícios da prática de múltiplos crimes de roubo agravado, com uso de violência extrema, de crimes de sequestro e de furto qualificado, de detenção e uso de armas proibidas, v.g., armas de fogo devidamente municiadas e, ainda, de tráfico de estupefacientes agravado, num período temporal aproximadamente correspondente aos últimos sete meses.

O grupo criminoso agora desmantelado apresenta uma estrutura com substancial organização e com a finalidade reiterada de obtenção de proventos económicos, resultantes exclusivamente da prática de crimes especialmente violentos.

Os arguidos agora detidos planeavam e rotinavam, antecipadamente, todos os alvos que pretendiam abordar, denotando a existência de planeamento e disponibilidade de informação acerca das vítimas e dos proventos económicos que esperavam obter, na sequência das suas abordagens criminosas, sempre efetuadas com utilização de várias armas de fogo como meio de coação e ameaça das diversas vítimas.

A área de atuação deste grupo criminoso era vasta, inserindo-se maioritariamente na Área Metropolitana de Lisboa, dispondo todos os seus elementos de grande mobilidade e disponibilidade de tempo para a realização das incursões criminosas, fazendo destas o seu modo de vida.

Na sequência do desenvolvimento da investigação em apreço, os arguidos acabaram por ser detidos em flagrante delito, além do mais, pela prática do crime de tráfico de estupefacientes agravado, tendo sido abordados, na região do Algarve, em pleno transporte e na posse de uma quantidade assinalável de substância estupefaciente – cerca de uma tonelada e meia de haxixe – destinada a ser comercializada a retalho.

Na sequência das cinco detenções efetuadas, foram apreendidas, na posse dos arguidos, duas armas de fogo devidamente municiadas, tendo sido ainda apreendidos, para além da substância estupefaciente, três veículos automóveis em utilização no momento da abordagem e com os quais efetuavam o transporte da substância estupefaciente.

As diligências de investigação prosseguem ainda tendo em vista o reforço do suporte probatório acerca da atividade criminosa dos arguidos e do eventual conhecimento de outras circunstâncias criminosas conexas com os mesmos.

Os arguidos detidos foram presentes a primeiro interrogatório judicial, no Tribunal de Instrução Criminal de Sintra, tendo sido aplicada a todos eles a medida de coação de prisão preventiva.

 

Por: PJ