Segunda, 24 de Setembro de 2018 |
Greve/Professores: Adesão entre 60% e 70% durante a manhã - Fenprof

14:27 - 13/03/2018     155 visualizações NACIONAL
Imprimir
A greve dos professores registou hoje de manhã uma adesão entre 60% e 70%, segundo dados revelados pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof), numa conferência de imprensa acompanhada pelos restantes sindicatos que convocaram a paralisação.

“Esta é uma grande resposta dos professores no primeiro de quatro dias de greve”, disse aos jornalistas o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira.

“Se o Governo não ouviu os professores na negociação vai ouvir na rua“, disse Mário Nogueira, no primeiro balanço sobre a manhã de greve junto à escola Marquesa de Alorna, em Lisboa.

Na segunda-feira, sindicatos dos professores e Ministério da Educação não chegaram a acordo em relação à contagem do tempo de descongelamento das carreiras.

A tutela admite descongelar dois anos e dez meses de tempo de serviço aos docentes, enquanto estes não desistem de ver contabilizados os nove anos e quatro meses.

Como não chegaram a acordo, os professores mantiveram a greve entre hoje e sexta-feira.

A greve segue-se a uma reunião com o Governo considerada “complemente absurda” pelos sindicatos.

“Não se compreende como é que na véspera de uma greve o Governo marca uma reunião supostamente de negociação para dizer que a única coisa que tinha a dizer era o que já tinha dito”, afirmou Mário Nogueira.

Os sindicatos estão a ponderar “uma grande manifestação” e uma nova greve no terceiro período de aulas, caso se mantenha a posição do Governo.

“Contrariamente ao que fez na restante administração pública, em geral, que foi contar todos os períodos do tempo de serviço no descongelamento, para os professores 70% desse tempo é para eliminar, o que é uma discriminação completamente inaceitável”, declarou Mário Nogueira.

O Ministério da Educação divulgou na segunda-feira um comunicado em que afirma que, no processo em curso, “todos os professores veem a sua carreira descongelada e mais de 45.000 progridem de escalão ao longo de 2018”.

Os sindicatos vão prosseguir a greve por regiões esta semana, hoje nos distritos de Lisboa, Setúbal, Santarém e na Madeira, na quarta-feira no Sul do país (Alentejo e Algarve), na quinta-feira na região Centro e no último dia no Norte e Açores.

 

Por: Lusa

 
Newsletter
Preencha o campo para subscrever a newsletter
notícias mais lidas


 
 
CATEGORIAS
A VOZ DO ALGARVE
APOIO AO CLIENTE
Visite-nos