Sexta, 22 de Junho de 2018 |
Ânsia e Apreço

21:17 - 03/06/2018     125 visualizações OPINIÃO
Atualizado em: 03/06/2018
Imprimir
por Natália Dias Pereira Salvador Sousa

O caminho da minha vida, percorrido

Não foi tudo para mim, tenho desgosto

Mas por Deus foi conseguido

Muito passo a meu gosto.

 

Mas a ambição desmedida

Não me deixa satisfeita

Porque a cultura conseguida

Passa por uma vereda estreita.

 

Dotada de capacidade

Para um caminho bem alargado

Mas a curtas rédeas fui sujeita.

 

A pouco espaço limitada

Vivi desejando, mas não pude

Sempre me senti inacabada

No que respeita a estudo.

 

Riquezas monetárias

Não tenho e não lamento

Mas cultura em certas áreas

Por não ter, sinto pena, quase tormento.

 

Lembro Camões

Poeta, letrado

Cérebro recheado

De grande memória

Jamais esquecido

Há séculos falecido

Mas para sempre erguido

Na sua vitória.

 

Camões ficou na história

Eu… nem na memória

De quem as minhas palavras ler

Mas o sentimento de poeta

Não me deixa ficar quieta

A vontade de escrever.

 

Tal foi a sua importância

Talento e capacidade

Que não há tempo, nem distância

Que impeça de ser lembrado.

 

Desde nova que me toca

O valor que teve e lhe dão

Camões diz a minha boca

Com certa satisfação.

 

Em lindos versos escreveu

Os acontecimentos as ideias

Às vezes penso que eu

Tenho desse sangue nas veias.

 

Se destinados lhes foram

Os caminhos por onde andou

Que por tanto o marcaram

P’lo que fez e o que passou.

 

Foi ilustre e ilustrado

A ninguém comparado

Na história ficou.

 

 
Newsletter
Preencha o campo para subscrever a newsletter
notícias mais lidas


 
 
CATEGORIAS
A VOZ DO ALGARVE
APOIO AO CLIENTE
Visite-nos