Quarta, 19 de Junho de 2019 |
REPORTAGEM SOBRE A FESTA DA MÃE SOBERANA RECEBE PRÉMIO DE JORNALISMO ATRIBUÍDO PELA IGREJA CATÓLICA

13:10 - 31/05/2019     203 visualizações LOULÉ
Atualizado em: 31/05/2019
Imprimir
«É como se a Mãe descesse à Terra», reportagem da TVI da autoria da jornalista Catarina Canelas, com imagem de João Franco, Tiago Donato e Rodrigo Cortegiano e edição de imagem de João Pedro Ferreira, recebeu esta quinta-feira o Prémio de Jornalismo Dom Manuel Falcão2018, atribuído pela Ecclesia, numa sessão que decorreu no auditório da Rádio Renascença.

Dedicado à Festa da Mãe Soberana - a Nossa Senhora da Piedade - Padroeira de Loulé que anualmente leva milhares de peregrinos e turistas à cidade, este é um trabalho de reportagem que acompanhou esta procissão de características únicas no país.

Reúne testemunhos de muitos crentes que encontraram na fé e na Mãe Soberana a esperança para os caminhos tortuosos da vida, mas também investigadores ligados ao estudo desta Festa, o presidente da Câmara Municipal de Loulé e, naturalmente, os Homens do Andor e elementos da Banda Filarmónica Sociedade Recreativa Artistas de Minerva.

Um trabalho emotivo sobre aquela que é a maior manifestação religiosa a Sul de Fátima e que, segundo a própria autora, se distingue pela exteriorização de alegria e pelo rejubilar dos fiéis, com permanentes “Vivas” À Mãe Soberana, ao contrário do que acontece na maior parte das procissões marcadas pela dor.

Catarina Canelas é natural de Lamego (1979). Estudou Comunicação Social na Universidade do Minho e iniciou-se no jornalismo em 2003, na TVI. Em 2005, a curiosidade pelo Oriente levou-a até Macau, onde foi jornalista na TDM - Rádio Macau durante quase três anos. Durante esta estada pela Ásia fez também reportagem na Malásia e viajou pela China, Birmânia, Tailândia, Singapura, Índia e Japão. De regresso a Portugal, voltou a trabalhar para a TVI, sobretudo em temas de relevância social e tem-se dedicado também à grande reportagem. É autora de «Um Lar Debaixo da Ponte», premiado com menção honrosa pela AMI, «A Senhora Dança?» e, «O Lugar Onde Eu Fiquei», trabalho que inspirou o livro “A Hora da Partida” sobre o regresso dos “retornados” a Portugal após o 25 de Abril.

A Câmara Municipal de Loulé associou-se à atribuição deste prémio promovido pela Igreja Católica Portuguesa, com a presença dos vereadores Marilyn Zacarias e Carlos Carmo, e da diretora Municipal Dália Paulo. Esta comitiva louletana fez questão de oferecer a Catarina Canelas uma imagem da Mãe Soberana, da autoria do fotógrafo Luís da Cruz.

“Esta reportagem constitui um trabalho extraordinário e um documento importantíssimo para a valorização daquela que é uma das mais importantes componentes identitárias do povo louletano. Está de parabéns a Catarina a quem Loulé se sente agradecido e enriquecido por ter agora diretamente ligada à sua cultura mais uma cidadã de excelência”, sublinha o autarca Vítor Aleixo.

 

Por: CML/GAP /RP

 

 
Newsletter
Preencha o campo para subscrever a newsletter
notícias mais lidas


 
 
CATEGORIAS
A VOZ DO ALGARVE
APOIO AO CLIENTE
Visite-nos